Telemedicina: definição e benefícios da tecnologia para a acessibilidade 

Publicado em: 20 maio 2019 - Categoria: Gestão de clínicas

A tecnologia vem conquistando um papel cada vez mais importante no dia a dia da população. Ela vai muito além de conectar as pessoas socialmente ou facilitar pesquisas, possui uma atuação extremamente importante inclusive na medicina, por meio da chamada telemedicina.

Essa prática é extremamente importante e benéfica para milhões de pessoas em diferentes lugares do mundo, afinal, por meio dela é possível integrar diferentes processos e promover o atendimento médico necessário mesmo em locais remotos ou de alto risco.

Quer saber mais sobre os benefícios e aplicações da telemedicina? Então, continue lendo!

O que é a telemedicina?

Telemedicina é o nome dado para um conjunto de tecnologias que auxiliam os diferentes profissionais da medicina e da área de saúde a integrar as informações a respeito do paciente e melhor atendê-lo, mesmo à distância, afinal, é possível, inclusive, serem realizadas consultas por meio da Internet.

Esse conjunto de tecnologias permite o atendimento médico por meio de dispositivos móveis e ao acesso a exames e informações de maneira integrada, ou seja, onde é possível acessar a esses dados em qualquer lugar. Inclusive, a telemedicina também está associada com a Inteligência Artificial e a análise de dados, favorecendo ainda mais o trabalho dos médicos para o diagnóstico e tratamentos.

A implementação dessa prática data desde o começo da Internet. Com a simplificação da troca de informações, foi possível começar com a emissão de laudos mesmo em grandes distâncias e, conforme o passar do tempo, as possibilidades e utilidades foram aumentando e continuam se expandindo nos dias de hoje.

As tecnologias consistem de softwares específicos para a integração de dados e o desempenho de cada função, dispositivos eletrônicos de ponta para garantir o pleno funcionamento dessas práticas, profissionais especializados tanto na área da saúde como em tecnologia e, obviamente, da Internet.

A lista de aplicações e benefícios é extensa e aumenta a cada dia.

Aplicações da telemedicina e a sua contribuição para a saúde da população atual:

Acredita-se que a telemedicina continuará aumentando a sua importância e impactando a vida de milhões de pessoas.

Em locais remotos, por exemplo, a implementação da telemedicina permite que a população da região tenha acesso a um atendimento médico mais eficaz e uma maior assistência. Por exemplo, essa prática facilita o acesso a especialistas, de outras localidades, facilita a leitura de exames e, assim, contribuindo para um diagnóstico mais preciso.

De maneira mais básica, a telemedicina está presente no dia a dia dos pacientes entregando relatórios de exames sem a necessidade do “papel”, criando prontuários eletrônicos, promovendo discussões entre médicos e atualizações profissionais por meio de cursos e palestras online.

Podem ser feitas consultas online entre médico e paciente, avaliações de caso entre profissionais de diferentes localidades, leitura e interpretação de exames em tempo real, monitoramento de paciente e, inclusive, em alguns países e hospitais de ponta podem ser realizadas cirurgias a distância, utilizando máquinas e robôs específicos.

Ela também auxilia os médicos a cruzar sintomas e exames para poder definir um diagnóstico mais preciso e, até mesmo, buscar tratamentos mais adequados para o perfil de cada paciente. Outra atuação cada vez mais frequente da telemedicina é no acompanhamento profissional em domicílio ou no cotidiano, por meio de equipamentos que avaliam clinicamente o paciente em tempo real e enviam esses dados para o médico ou para a análise me um laboratório ou outro centro.

Com o auxílio da telemedicina, é possível garantir o melhor atendimento possível para o paciente e assegurar um diagnóstico preciso e atualizado segundo as mais novas práticas da área da saúde.

Estão se tornando cada vez mais comuns também as já citadas consultas à distância. Essa prática ainda é nova no Brasil e muitos a vêem como uma maneira “fria” de consulta e que pode prejudicar na conexão entre médico e paciente e, consequentemente, no diagnóstico. Por esse motivo, ainda estão sendo viabilizadas formas de aprimoramento dessa prática.

Outro ponto que vale a pena destacar é que, a longo prazo, é possível se ver uma economia financeira relativamente alta com a telemedicina. Profissionais e centros hospitalares podem poupar com as facilidades oferecidas pela rápida troca de informações e podem atender as pessoas ali presentes de forma rápida e eficaz. Os pacientes também são beneficiados, podendo reduzir gastos com deslocamento, consultas e, até mesmo, com remédios e tratamentos.

Por meio dessas práticas, milhões de pessoas podem ser beneficiadas, aumentando o atendimento, diminuindo o tempo de espera, viabilizando consultas e tratamentos e também diminuindo o risco de erros médicos em diagnósticos e medicações. Aos poucos, a telemedicina vem sendo implementada nos centros de saúde, aumentando assim o número de beneficiados.

Como implementar a telemedicina em hospitais, pronto atendimentos e consultórios:

Para fazer a implementação da telemedicina, é essencial ter toda a estrutura necessária para garantir a integridade do atendimento. Afinal, não será possível realizar uma consulta a distância sem um dispositivo próprio e uma Internet adequada, por exemplo.

Também é preciso verificar a qualidade dos softwares utilizados, a integração dos equipamentos, se for o caso, e de todo o resto que esteja interligado e relacionado com os recursos oferecidos.

No que tange o restante, é imprescindível que a segurança do paciente e a privacidade das suas informações sejam mantidas. Além disso, como qualquer outro tipo de consulta, o médico deve considerar o seu paciente e atendê-lo da melhor e mais humana forma possível.

A ideia central da telemedicina não é substituir o atendimento e cortar o relacionamento entre médico e paciente, pelo contrário. O conjunto de tecnologias voltadas para a área da saúde procuram justamente complementar a ação do médico e oferecer um atendimento cada vez melhor para os seus pacientes.

No Brasil, a implementação e o funcionamento da telemedicina são regulamentados pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), possuindo normas éticas, de atendimento e regulamentações para a sua atuação de maneira a garantir a segurança da população, o funcionamento adequado dos dispositivos a serem utilizados e, principalmente, para manter o sigilo e a ética profissional.

Compartilhe: